A BEIRA DO CAOS: “Rollemberg quebrou Brasília e nós é que estamos pagando o pato”, diz Cleber Pires

impostometro3
O impostômetro em cima do prédio da ACDF indica que o governo de Brasília já arrecadou mais de 108 bilhões de reais de janeiro a outubro desse ano. Apesar da arrecadação voraz do governo, o setor produtivo agoniza com 15 mil empresas quebradas e milhares de pessoas desempregadas. A pergunta é : para onde está indo todo o dinheiro?

barra-radar

letra-o presidente da Associação Comercial do Distrito Federal, Cleber Pires classificou como “irônico, desproposital e fora da realidade” o recente discurso do governador Rodrigo Rollemberg quando afirmou que não iria ficar conhecido como o governador que quebrou Brasília.

Rollemberg afirmou isso durante uma coletiva a imprensa para anunciar que não iria conceder a terceira e última parcela do reajuste prometido aos servidores porque o governo precisaria manter o funcionamento dos serviços públicos.

“Ele já quebrou Brasília e talvez não saiba”, disse ao Radar o representante da classe empresarial do DF ao destacar a eficiência do governo para cobrar os impostos da população e a incompetência para aplicar os recursos arrecadados em favor do contribuinte.

Ele disse ser “degradante” a gestão de Rodrigo Rollemberg e preocupante para toda a sociedade produtiva do Distrito Federal por estar levando o setor à quebradeira. “Este ano, 15 mil empresas fecharam as portas no DF, número que assusta quem ainda está de pé e pode triplicar no próximo ano se o governador não mudar essa gestão capenga comandada por teóricos e intelectuais que estão afundando Brasília”, disse Pires.

impostosEle apontou os dados aferidos pelo impostômetro fixado no alto do prédio da Associação Comercial, localizado no Setor Comercial Sul de Brasília, ferramenta que serve para conscientizar o cidadão sobre a alta carga tributária e incentivá-lo a cobrar o governo por serviços públicos de qualidade.

De janeiro até as 15:30hs desta quarta-feira (26), o valor pago pelos brasilienses em impostos neste ano alcançou R$ 108.184.950.648,90, com um aumento de 0,96% em relação a arrecadação registrada no mesmo período do ano passado que foi de R$107.160.477.009,46, segundo o impostômetro da ACDF.

barrinhaPara Cleber Pires, dinheiro tem. “Só não se sabe como está sendo gasto e nem para onde está indo. O governo precisa ser transparente, como o governador prometeu ser durante a campanha em 2014. O mínimo que a gente espera é que pelo menos esse governo cuide da saúde da população que está morrendo dentro dos hospitais”, disse o dirigente da classe empresarial.

Ele apontou que todos os hospitais do DF estão um caos com pessoas padecendo sem poder fazer cirurgias de emergências. “Em Santa Maria tem um senhor que chegou ao hospital com um problema na perna e está na eminência de amputa-la por falta de uma cirurgia em um cidadão que contribuiu com seus impostos a sua vida inteira. Conheço outro cidadão que encontra-se no hospital de Ceilândia com o braço quebrado e não tem uma previsão de quando fará a cirurgia. Isso é desumano”, afirmou Cleber Pires.

Apesar de tudo, o presidente da ACDF acredita que ainda a tempo do governador acertar. “É só ter coragem de mudar a gestão”, disse.

redacao-radar

 

TCDF SE PREPARA PARA JULGAR AS CONTAS DE ROLLEMBERG

Está marcada para o próximo dia 3 de outubro, a sessão especial do Tribunal de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *