EM TROCA DO “SUBORNO”, Friboi tem tratamento vip no governo Rollemberg

O empresário e quadrilheiro Joesley Batista, dono da Friboi, em delação premiada, disse ter recorrido à corrupção, com farta distribuição de subornos , transformados  como doações de campanhas no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), para obter vantagens em seus negócios no governo federal e em vários estados. No DF, a Friboi, que doou uma bolada no valor de R$ 852.831,70 para a campanha de Rollemberg em 2014, exigiu em troca a continuidade do tratamento vip no governo e o pagamento de um contrato no valor de R$ 14.224.216,80 liquidados pelo governo de Brasília no inicio de 2015

máxima de que “não existe almoço de graça” voltou a ser aplicada ao que disseram Joesley Batista e Ricardo Saud, dono e diretor da JBS/Friboi, respectivamente, durante delação premiada que fizeram na Procuradoria-Geral da República.

Na lista do empresário corrupto, dono da Friboi, que ganhou salvo-conduto das “autoridades” para viver com a família nos Estado Unidos, disse ter repassado R$ 15 milhões ao Presidente Michel Temer (PMDB), US$ 50 milhões para o Lula (PT) e US$ 30 milhões para a sucessora Dilma Rousseff (PT).

Já o diretor da empresa afirmou ter distribuído farta propinas no valor total de R$ 600 milhões a título de “doação de campanha” para 1.829 candidatos a cargos eletivos em 2014.

No caso do DF as propinas da Friboi abarrotaram os caixas de campanha do PT de Agnelo Queiroz e do PSB de Rodrigo Rollemberg para continuar com contratos de venda de carne para a Secretaria de Educação independente de quem fosse o governador.

A JBS S/A, deu à campanha de Rollemberg um total R$ 852.831,70, em várias doações miúdas. A maior foi de R$ 450 mil, dados diretamente ao CNPJ da candidatura. No acordo feito entre empresa e o candidato era de que sendo eleito mantivesse os seus polpudos contratos com o GDF, pela venda de carne para a Secretaria de Educação.

Desde 2011 a até a presente data a JBS domina as licitações para o abastecimento de carne e frangos para a pasta. O tratamento diferenciado até hoje é mantido, conforme demonstrado no site http://sigabrasilia.df.gov.br/.

Guilherme Leal, dono da empresa natura também é outro que absorve a máxima de que “não existe almoço de graça”. Em 2014 o dono da empresa de cosméticos, como pessoa física, injetou R$ 200 mil na campanha do governador. Em contrapartida, pela ajuda, o Governo de Brasília resolveu fazer um mimo ao empresário concedendo isenção fiscal de quatrocentos milhões de reais à Natura.

Outro privilégio que está sendo preparado para cair no colo da Natura é o projeto Orla Livre que tem o objetivo de estimular o desenvolvimento de grandes negócios no pedaço mais caro do Lago Sul, no trecho compreendido entre a QL-8 e a QL-12 (Península dos Ministros).

O Radar procurou o governo de Brasília para falar sobre as doações recebidas em 2014 oferecidos pela JBS que disse, de forma generalizada, ser um ato de “suborno”, mas não teve sucesso. Presume-se que Rollemberg daria a seguinte resposta: “Reafirmamos que os atos praticados em nossa campanha foram realizados absolutamente dentro da lei e com dinheiro limpo.”

É o que todos dizem.

 

NO RUMO ERRADO: ROLLEMBERG LEVA PERIGO DE MORTE ÀS FAMÍLIAS DO SOL NASCENTE

Se chover forte neste final de semana, cerca de 40 casas da Rua 14 do …

2 comentários

  1. A conclusão final da matéria reafirma as posturas de todos que participaram da “farra do boi gordo ” da JBS. A fala do povo é a mesma : sem saúde, sem educação e sem segurança ! Temos aprendido muito nesses últimos anos : sentido o cheiro do esgoto da lava jato e o grito dos bois da JBS. Espero que sejam suficientes para querermos mudanças significativas na política brasileira

  2. O Brasil precisa de eleições gerais e diretas para todos os cargos eletivos no executivo e legislativo. Rollemberg tem problemas com doações de OSs do Moustafa que está preso em Manaus, mais de 600 mil. Vem essa da JBS com toda a sujeira e claro que também essa da Natura já está nítida a implicação.
    Lembrando que o Instituto Hospital de Base caso aprovado no futuro tenho certeza que também fará parte de alguma delação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *