“PRIVATIZAR O HOSPITAL DE BASE É ENTREGAR O PATRIMÔNIO DO POVO DE BRASÍLIA A GRUPOS PRIVADOS”, diz Marli Rodrigues do Sindicato dos Servidores da Saúde

Compartilhe:
A presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Brasília, Marli Rodrigues, reagiu contra o projeto de privatização do maior hospital de alta complexidade de Brasília, o Hospital de Base, que o governo Rollemberg deseja transformá-lo em moeda de troca

barra-radar

rp_1aLETRA_A_GRASSE.jpg

o invés de apresentar propostas para que o sistema de saúde pública do DF saia da UTI, o governo Rollemberg anuncia uma descarada tentativa de entregar o patrimônio do povo brasiliense à iniciativa privada que irá continuar sendo custeado com o dinheiro público”, disse a presidente do Sindsaúde, Marli Rodrigues.

Ela anunciou que os servidores da saúde tomarão uma posição contrária ao projeto de lei que foi levado pessoalmente pelo governador Rodrigo Rollemberg, à Câmara Legislativa na última segunda-feira (13).

Marli disse que a proposta do governo é uma excrescência por estar entregando um hospital, que faz parte da história de Brasília, além de ser um dos maiores patrimônios da população,  a grupos privados utilizando o dinheiro público. “A categoria se posiciona contrária por defender um serviço público de saúde eficiente e de qualidade, afirmou.

Ela disse que o secretário de Saúde, Humberto Fonseca não tem competência de gestão e foi colocado no cargo de forma proposital com o fito de detonar com todo a rede e levar os hospitais a falência para justificar de que era necessária a urgente a privatização do sistema.

“De nada vai adiantar transformar o Hospital de Base em Instituto. Está claro que essa é mais uma manobra para que o governo continue fugindo das licitações, já que até hoje usou decretos emergenciais para fazer compras sem qualquer controle”, afirmou.
Marli lembrou que há três anos foi comprado um “pet scan” e continua encaixotado no corredor do Hospital de Base. Esse  equipamento, segundo ela, custou três milhões e meio de dólares aos cofres públicos e  tem a função de  detectar com precisão tumores e até checar a regressão do câncer depois de sessões de quimioterapia.

“Centenas de pacientes portadores de câncer deixaram de usar esse aparelho e por causa disso muitos foram a óbito. Agora, com essa tentativa de entregar o Hospital de Base a grupos privados, certamente esse importante equipamento será instalado”.

Ao entregar pessoalmente o projeto aos presidentes de comissões da CLDF, o governador Rodrigo Rollemberg teve a certeza de que não terá dificuldades para aprovar a proposta.

No entanto, a presidente do Sindsaúde afirmou que a Câmara Legislativa tem a obrigação de abrir um amplo debate com a sociedade civil e com os servidores da saúde, antes de querer empurrar de goela abaixo uma proposta que autoriza Rollemberg entregar o HB a grupos de direito privado.

“A pressão popular é fator importante para que o deputado distrital não aprove essa aberração que estão fazendo com um patrimônio histórico do povo de Brasília”, afirmou Marli Rodrigues.

redacao-radar

Um comentário ““PRIVATIZAR O HOSPITAL DE BASE É ENTREGAR O PATRIMÔNIO DO POVO DE BRASÍLIA A GRUPOS PRIVADOS”, diz Marli Rodrigues do Sindicato dos Servidores da Saúde

  1. Não deixemos que “Um Patrimônio Publico seja Privado” nem que criem (OSS) como prioridade na saúde publica. As oss deve apenas pequenos meios alternativos.O GOV Deve é colocar mais equipamentos nos hospitais e capacitar mais profissionais como servidores públicos e não tirar esse direitos para meios privados principalmente na questão da saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*