A causa envolve uma disputa de R$ 35 milhões (agravo de instrumento interposto em execução de honorários).

VEJA NO VÍDEO: ADVOGADO CHAMA DESEMBARGADOR DE VAGABUNDO

Durante a sustentação oral na 1ª Câmara Cível, o experiente advogado Felisberto Odilon Córdova acusou o desembargador Eduardo Mattos Galo Júnior, relator do processo, de ter lhe pedido R$ 500 mil para julgar favoravelmente aos seus interesses.

A causa envolve uma disputa de R$ 35 milhões (agravo de instrumento interposto em execução de honorários). Uma das partes envolvidas é a Orgânica Agronegócios. Córdova não economizou nas críticas e estava visivelmente exaltado. Diante da denúncia, que chamou de infundada, Gallo exigiu a prisão ao advogado, reclamou dos excessos e disse nunca ter sido chamado de vagabundo em 25 anos de magistratura.

Para acalmar os ânimos, o presidente da Câmara, desembargador Raulino Brunning, pediu vistas dos autos, suspendeu o julgamento e decidiu oficiar o Ministério Público e OAB para acompanharem o caso denunciado no Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Um vídeo com a cena está circulando nas redes sociais.

VEJA O VÍDEO

[embedplusvideo height=”463″ width=”618″ editlink=”http://bit.ly/2u6cpWQ” standard=”http://www.youtube.com/v/Y19HbyGZJsE?fs=1″ vars=”ytid=Y19HbyGZJsE&width=618&height=463&start=&stop=&rs=w&hd=0&autoplay=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep6963″ /]

 

 

VÍDEO EMOCIONADO: NAMORADA DE MARCELO REZENDE AGRADECE A FÃS

Dois dias após a morte de Marcelo Rezende, em decorrências de uma complicação de um …

Um comentário

  1. A coisa está tão descarada que vendem sentença na própria audiência e nem usam intermediários na negociação.
    A venda de sentenças no judiciário nestes últimos 30 anos acontece em todas as instâncias. Agora resolveram mostrar abertamente negociando direto nas audiências se não houver propostas dos advogados.
    Não sobra um poder e agora o balcão de negócio opera cara a cara nas audiências.
    Sou uma das vítimas do judiciário juntamente com milhares ou milhões,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *