A FILA ANDA! Ibaneis exonera Gilberto Occhi da Terracap e tem mais gente pra cair

|Por Toni Duarte||RADAR-DF

Até o fim de dezembro de 2019, bem como ao longo dos meses de janeiro e fevereiro de 2020, o governo Ibaneis Rocha deve mudar de cara radicalmente. Ao menos três secretarias  e uma  empresa pública  terão novos comandantes. segundo informa, sem citar nomes,  um auxiliar próximo ao governador. Algumas Administrações Regionais também sofrerão mudanças neste período.

A queda do presidente da Terracap ocorrida nesta véspera do natal, cuja exoneração está publicada no diário Oficial desta terça-feira, 24, é apenas o início da mudança que atingirá postos importantes do primeiro escalão e de empresas públicas do GDF.

Gilberto Magalhães Occhi pode ter acertado como ministro das Cidades em 2014, como presidente da Caixa Econômica, como ministro da Integração Nacional de Dilma Rousseff e como Ministro da Saúde no final do governo Temer, no entanto, não deslanchou como presidente da Terracap.

Em 2019, a empresa imobiliária do governo, deixou de faturar mais de R$ 1 bilhão com a venda direta de lotes no Jardim Botânico, segundo a análise dos síndicos de condomínios da região.

Com base nas leis federais nº 13.465, de 12 de julho de 2017 e  nº 9.262/96, no Decreto Distrital nº 38.333, de 13.07.2017 e no TAC nº 002/2007, a Terracap conseguiu regularizar entre julho de 2017 à dezembro do ano passado, 1.215 lotes de terrenos no Condomínio Solar de Brasília (SHJB Etapa IV).

Foram ainda regularizados 1.228 lotes de terrenos no Setor Habitacional Jardim Botânico Etapa II; 956 lotes de terrenos no Condomínio Ville de Montaigne; 7.200 lotes de terrenos no Setor Habitacional Arniqueira e 3.600 lotes de terrenos no Setor Habitacional Vicente Pires Etapa III, todos alienados ou em processo de alienação, por intermédio da “Venda Direta”.

O GDF regularizou e faturou alto.

O  governador Ibaneis Rocha, que pegou uma administração destroçada, aos poucos vem melhorando a saúde, a educação, a segurança e a infraestrutura do Distrito Federal.

A regularização fundiária poderia ser uma máquina de fazer dinheiro e ajudar a tirar o GDF do sufoco, no entanto,  o processo tocado pela Terracap, avançou timidamente.

Leia Mais: TERRACAP| Moleza de Gilberto Occhi, atrapalha promessa de Ibaneis no Paranoá

A falta de regularização das terras, além de fomentar a grilagem e as invasões, faz o governo do Distrito Federal perder receita por deixar de vender os terrenos para as pessoas que neles moram há mais de 30 anos.

A falida CEB (Companhia Energética de Brasília) não cobra taxa de energia elétrica da maioria dos condomínios por não serem regularizados. A Caesb diz a mesma coisa: fornece água, mas não cobra o consumo.

O governador que nunca foi político de carreira e veio da iniciativa privada, deixou claro durante o balanço de um ano de governo, feito na semana passada, que exige resultado daqueles que compõe a sua equipe.

A maioria de seus auxiliares conseguiu atravessar os 12 meses do ano com sucesso naquilo que foram convocados a fazer. Já a  turma do “corpo mole”deve desocupar o lugar.

Até o último dia do ano, têm mais gente para ser substituída, como ocorreu hoje com a saída de Gilberto Occhi . Ele foi trocado pelo o atual secretário de Obras e Infraestrutura, Izidio Santos.

“O homem é um trator para trabalhar” é o que sempre diz o governador ao se referir a Izidio.

Diferente de Occhi, o novo presidente da Terracap conhece o quadradinho e sabe do compromisso de Ibaneis em relação a regularização fundiária das terras do DF.

É nele que o governador irá depositar todas as fichas para regularizar os condomínios do Jardim Botânico, além de cidades como:  Vicente Pires, Paranoá, São Sebastião e Itapoã, durante o ano de 2020.

COMPARTILHAR AGORA

 

Ibaneis publica decreto alinhado a lei federal 13.465/2017 para legalizar ocupações

A regularização fundiária urbana do Distrito Federal ganhou um importante capítulo nesta terça-feira (12). Publicado …