O ex-governador Marconi Perillo, tem a esperança que o prefeito Hildo do Candango faça o seu sucessor em 2020.

Águas Lindas entra em clima de campanha política com a crise na construção civil

A desaceleração do programa habitacional Minha Casa Minha Vida do governo federal afeta a economia e serve de combustível para o acirramento político no município de Águas Lindas com vistas às eleições de 2020. Várias pré-candidaturas já estão postas como a do ex-deputado federal e empresário José Tatíco que surge com o apoio do governador Ronaldo Caiado (DEM)

Por Toni Duarte//RADAR-DF

Para os eleitores de Águas Lindas de Goiás, as eleições municipais ainda estão longe de acontecer. Mais para a classe política o tempo urge e os nomes para ocupar a cadeira do atual prefeito Hildo do Candango já aparecem na corrida das eleições de 2020.

O movimento político, que até então corria de forma silenciosa, emergiu com a crise financeira que afeta os municípios goianos do Entorno, em decorrência da redução dos investimentos do programa habitacional Minha Casa Minha Vida.

Sem a indústria da construção civil, empurrada pelos pequenos e médios construtores, o município de Águas Lindas começa a sentir o peso da decadência com a queda na arrecadação e consequentemente a dificuldade de fechar a folha de pagamento dos funcionários.

Fora do âmbito da prefeitura o desemprego é grande na cidade.

O prefeito Hildo do Candango, que é presidente da Associação dos Municípios Adjacentes a Brasília (AMAB) sabe disso.

No entanto, o apoio aos construtores, que se organizam para fazer um movimento na porta do Ministério do Desenvolvimento Nacional depois de amanhã, 29/05, está sendo considerado pelo setor como “pífio”.

O prefeito soltou apenas uma nota pela sua associação onde diz ser solidário aos construtores e nada mais do que isso.

A postura está sendo criticada por outros segmentos produtivos de Águas Lindas, a exemplo dos donos de lojas de material de construção que começaram a sentir a queda nas vendas e demitir funcionários.

“Não temos mais a quem vender”, disse ao Radar um dono de uma loja importante,  situada no Jardim Brasília, área comercial da cidade.

O movimento de fragilidade política de Hildo do Candango fez surgir  a corrida municipal mais cedo em Águas Lindas de Goiás.

José Fuscaldi Cesílio, o Tatíco, desta vez,  ele próprio irá disputar as eleições e não mais o seu filho Ênio Tatíco que disputou o cargo em 2016 e ficou em último lugar.

Tatíco, Dr. Lucas, Giovani Machado, Tullio e Rogemberg

Nos bastidores, o ex-deputado federal José Tático anuncia que tem o apoio do governador Ronaldo Caiado (DEM), a quem o ajudou a ganhar as eleições no ano passado e a derrotar ex-governador Marconi Perillo (PSDB).

Hildo é aliado fiel do ex-governador que não conseguiu se eleger senador em 2018 e estar sem mandato.

Já  Túllio também não nega que deseja disputar pela segunda vez o cargo de prefeito de Águas Lindas. Na eleição passada ele ficou em terceiro lugar na corrida para a prefeitura.

Ele é do DEM, mesmo partido do governador Caiado de quem Tatíco também é muito próximo.

Na disputa política surge ainda o nome do presidente da Câmara Municipal, Rogemberg Barbosa (PRB), que tem cinco mandatos de vereador sempre eleito com o apoio do segmento evangélico.

Rogemberg acredita que pode chegar lá da mesma forma como acreditam os vereadores Giovani Machado (PSD), secretário de Habitação de Águas Lindas e o vereador Anderson Antônio Teixeira (PTB).

Para completar o time, surge comendo pelas beiradas o médico Lucas Antonietti que diz ter o apoio do prefeito Hildo do Candango e do ex-governador Marconi Perillo.

Hildo está no segundo mandato e não pode mais ser candidato.

No entanto, poderá ganhar um folego político se for aprovada a Proposta de Emenda à Constituição (PEC), cujo objetivo é prorrogar até 2022 os mandatos dos atuais prefeitos e vereadores de todo o país.

A PEC é de autoria do deputado federal Rogério Peninha (MDB-PR) e foi protocolada na Câmara dos Deputados no dia 12 de abril de 2019, durante a Marcha dos Prefeitos em Brasília.

Hildo e os demais prefeitos que não têm mais direito a reeleição, torcem para que a proposta possa ser aprovada ainda este ano.

Para Hildo e para os atuais vereadores de Águas Lindas, a aprovação da PEC é muito bom, mas é péssimo para a maioria dos que desejam entrar na corrida municipal logo em 2020.

COMPARTILHAR AGORA

 

Kajuru chama senador de “bandido”, “covarde” e “canalha” após vitória no STF

O senador Jorge Kajuru (PATRI-GO) comemorou a vitória sobre Vanderlan Cardoso (PP-GO) nesta quinta-feira (5) …

Um comentário

  1. Vejo dois candidatos: Dr Lucas e o Túlio. Até o momento nenhum governador do Goiás olhou para Águas Lindas. A cidade está cheias de buracos, ruas que deviam estar pavimentadas continuam na lama na época das chuvas e poeira na seca. Não quero citar nome , mais se um.candidato não fez nada pela cidade enquanto veriador , como prefeito não fará . O Sr Tático teve oportunidade de ajudar a cidade . Não fez nada . Águas Lindas depende muito do DF.portanto sou a favor do projeto de torná-la uma metrópole.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.