Bolsonaro manda cortar mamata milionária do MST de João Pedro Stédile

Até o governo Temer,  o Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST),  faturava do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra),  uma bolada em torno de R$16 milhões por ano. Desde o primeiro governo Lula, o MST faturou mais de R$300 milhões para invadir terras produtivas no país. Agora a farra acabou. A ordem do Capitão  Bolsonaro é tratar o movimento a pão e água

Postado por RADAR-DF

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), orientou suas sedes regionais a não receberem “entidades que não tenham personalidade jurídica”.  A medida mira movimentos como o MST. A orientação enviada na noite de quinta-feira, 21, é assinada pelo novo ouvidor agrário do Incra, o coronel do Exército João Miguel Souza Aguiar Maia de Sousa.

A medida orienta os funcionários do Incra a não receberem organizações que não tenham CNPJ, o que é o caso da maioria dos movimentos populares, como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Um  e-mail aos funcionários do Incra também orienta que “não deverão ser atendidos invasores de terra” e que esses casos “devem ser notificados conforme a lei”.

Quem estrebuchou com a medida foi o coordenador geral do MST, João Pedro Stédile que prega a ocupação à força de fazendas produtivas e até mesmo uma revolução socialista.

No entanto, na prática, muitas das iniciativas do movimento são cem por cento capitalistas.

O MST administra um caixa milionário, explora o valor da sua marca como poucas empresas, recolhe vastas contribuições internacionais, vende e exporta seus produtos, faz a intermediação financeira nos empréstimos agrícolas governamentais e treina intensamente seus quadros profissionais.

A mamata milionária agora acabou. O capitão mandou o coronel ouvidor agrário do Incra cortar tudo.

A noticia foi publicada na imprensa. Veja os comentários sobre o assunto na Jovem Pan:

COMPARTILHAR AGORA

 

VEJA ISSO! Chifre e traição entre globais são causados pela polarização política

É humano, demasiadamente humano, gostar de vasculhar a intimidade da vida de celebridades, de autoridades …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.