CLIMA TENSO E SILENCIOSO ENTRE IZALCI E ALÍRIO PODE IMPLODIR A TERCEIRA VIA

As declarações   de Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, de que uma aliança nacional com o PSDB estaria condicionado ao  apoio  do presidenciável Geraldo Alckmin  a Alírio Neto, pré-candidato petebista ao Buriti, foi  classificada por  tucanos do DF, como um “achaque eleitoral, oportunista e desagregadora”. O tucanato brasiliense  vai  continuar defendendo, junto à direção nacional do PSDB, a pré-candidatura de Izalci ao governo do Distrito Federal

Por Toni Duarte//RADAR-DF

O clima entre os 10 partidos que formam o bloco da terceira via, denominado de grupo das “Madalenas Arrependidas”, não é nada bom depois das declarações feitas pelo presidente do PTB nacional, Roberto Jefferson.

Na semana passada o presidente da legenda afirmou, de forma categórica, que uma aliança com o PSDB de Geraldo Alckimin só seria possível se o presidenciável tucano apoiasse a candidatura do ex-deputado distrital Alírio Neto (PTB) ao governo do Distrito Federal.

Apesar de Izalci ter minimizado  as declarações de Jefferson, no entanto alguns tucanos  classificaram a atitude  como um “achaque eleitoral, oportunista e desagregadora”.

Os tucanos do DF estariam  dispostos a continuar brigando dentro do PSDB,, para garantir a pré-candidatura do deputado Izalci Lucas ao Buriti, independente de qual seja a aliança feita entre o PTB e o PSDB nacional.

Izalci Lucas, que é presidente do PSDB-DF, travou brigas homéricas dentro do seu próprio partido para garantir o projeto de candidatura própria nestas eleições e o compromisso de fazer o palanque político do presidenciável Geraldo Alckmin aqui no DF.

As declarações de  Roberto Jefferson  esquentou  o  clima no grupo das “madalenas”  que já não é mais  de paz e amor e pode afetar a aliança partidária para as   eleições desse ano.

Há quem assegure que por trás das palavras de Roberto Jefferson, estaria o interesse de Alírio Neto de dar o troco em  Izalci, por causa do acontecido na última reunião do grupo, ocorrida na casa do tucano no Lago Sul.

O tucano  teria insinuado ser ele  o cabeça da chapa,  já que nas pesquisas  estaria mais bem avaliado do que Alírio. O petebista não gostou.

O problema é,  que cada um desses personagens jura de pés juntos que um está melhor do que o outro.

A briga silenciosa entre Izalci e Alírio teria desequilibrado a harmonia do grupo, segundo um filiado ao PSC, partido  dirigido por Zenóbio Rocha, seguidor de carteirinha do deputado federal Izalci Lucas. O PSC iria para onde Izalci for.

O deputado federal Rogério Rosso (PSD-DF), estaria propenso a deixar o barco das “madalenas arrependidas” por acreditar que a cisão entre o PTB e PSDB desarrumaria a nominata que garantiria a sua reeleição a Câmara Federal. O senador Cristovam do PPS tem a mesma dúvida.

Um tucano de alta plumagem que defende Izalci e o seu projeto de ser candidato a governador pelo partido nestas eleições confidenciou ao Radar que o deputado federal não abre mão do projeto.

No entanto, isso pode mudar se a ordem vier de goela abaixo com Geraldo Alckmin preferindo Alírio. Segundo ele, Izalci manteria a sua candidatura a deputado federal e se vingaria apoiando Jofran Frejat Governador. Será?

COMPARTILHAR AGORA

 

“ALÍRIO VICE DE FREJAT? SEM CHANCE”, DIZEM CORRELIGIONÁRIOS

O esfacelamento da chamada terceira via expôs as víceras de  um caminho sem volta para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *