“Greves não me abalam”, diz Ibaneis Rocha ao mandar recado para servidores

O governador Ibaneis Rocha não deixou barato. Mandou transferir do Detran para a Secretaria de Segurança Pública o processo licitatório que irá modernizar o sistema de trânsito do DF. A medida foi para dá um contraponto ao boicote ao  certame e ameaças de   paralisação que vinha fazendo os  servidores do órgão para manter, segundo o governador,  a viciada “fábrica de multas” de interesse de empresas terceirizadas

Por Toni Duarte//RADAR-DF

Vinte quatro horas após a  mudança de comando no Departamento de Trânsito do Distrito Federal de onde saiu Fabrício Moura e entrou os ex-deputado distrital Alírio Neto, o governador Ibaneis Rocha resolveu elevar  o tom para por ordem na casa.

Com a chegada de Alírio os servidores ameaçam paralisar o setor em uma declaração de guerra contra o novo gestor que o classifica como “um estranho” e o renega por ter Alírio virado réu por ter cometido crime de improbidade administrativa quando foi presidente da Câmara Legislativa.

Em abril de 2018,  Alírio Neto foi condenado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), após ter sido acusado por uma ação movida pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

Na época Alírio disputava a eleição ao cargo de vice-governador na chapa de Eliana Pedrosa.

O governador Ibaneis Rocha decidiu tomar uma medida nesta sexta-feira (10) para acabar com o mimimi de ambas as partes: tirou do Detran o processo de licitação e enviou para o âmbito da Secretaria de Segurança Pública.

O motivo da decisão de Ibaneis está no fato de os servidores, segundo o próprio governador, boicotar o pregão para contratar uma empresa que ficaria responsável pela modernização dos semáforos da capital.

Os servidores do Detran não aceitam mudanças das empresas, que possuem contratos com o órgão desde o governo Rollemberg, e teriam feito a denúncia de supostos desvios de contratos ao Ministério Público como forma de “melar” o certame.

O governador defendeu o processo licitatório e que a realização do pregão será garantida.

“Brasília é uma cidade que envelheceu e que precisa modernizar o seu sistema de trânsito com as novas tecnologias. O dinheiro das multas, segundo a lei, terá que ser investido na melhoria do sistema e não no interesse de grupos de servidores ou de empresas terceirizadas que querem continuar como no passado”, pontuou.

O governador disse que irá enfrentar essas dificuldades e que a licitação será feita pela Secretaria de Segurança para dar transparência.

“Isso será feito independente da vontade de servidores e das empresas que querem permanecer no passado. Eu estou aqui é para prestar bons serviços a sociedade. O servidor tem que entender que estão no serviço público para servir. ”, cravou.

Para Ibaneis, a greve do metrô está sendo feita por aqueles que querem continuar consumindo a empresa. O metrô é uma empresa deficitária, sem capacidade de investimentos e o que arrecada é para manter salários absurdos dos servidores.

“A greve é uma  insana. São pessoas que ganham muito bem e não entendem que o momento é outro. A sociedade precisa de bons serviços o que não vêm sendo prestado pelo metrô”, observou o chefe do Executivo

No rol das empresas deficitárias do DF ele apontou ainda a CEB e a CASB.

“Temos que modernizar as empresas e se for necessário privatizá-las. O meu desejo é que a população seja bem atendida. Vou continuar com a minha marcha porque greves não me abalam”, disse.

Para finalizar o emedebista disse ter  consciência de como está a situação financeira do DF e que  não é  nenhum dos governantes anteriores que ficaram refém de servidores e que não cuidaram bem da cidade.

COMPARTILHAR AGORA

 

Ibaneis manda pra guilhotina 22 servidores e deixa alta cúpula da saúde de olho no Diário Oficial desta noite

A edição extra do Diário Oficial do GDF, que deve ser publicada esta noite, vai …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.