Operação Appius investiga pagamento de propina a agentes públicos por parte de empreiteira que queria anular outra ação que investigava fraudes

O BICHO PEGOU| Polícia Federal realiza operação baseada em delação de Palocci

A Polícia Federal realiza nesta quinta-feira (7) a Operação Appius para investigar o pagamento de propina a agentes públicos por parte de uma empreiteira com o objetivo de anular a Operação Castelo de Areia. O inquérito foi iniciado a partir de informações obtidas na delação do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci.

 

São cumpridos 4 mandados de busca e apreensão em São Paulo e Fortaleza, expedidos pela 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo. A operação da PF ocorre em conjunto com o Ministério Público Federal.

A Operação Castelo de Areia foi deflagrada em 2009 e apurava os crimes de fraude à licitação, corrupção, lavagem de dinheiro, praticados por representantes da mesma empreiteira e agentes políticos, para obtenção de contratos públicos.

Leia Também| QUEM SE CANDIDATA? Ministra de Bolsonaro está atrás de um marido

A ação penal decorrente desta operação foi suspensa por um habeas corpus concedido em 2010 pelo STJ. Em 2011, a Castelo de Areia foi anulada pelo mesmo tribunal.

Fatos investigados na Operação Castelo de Areia vieram à tona com a deflagração da Operação Lava Jato, como as irregularidades na construção da refinaria Abreu e Lima em Pernambuco. O inquérito atual apura os crimes de corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e ocultação de ativos, e corre em segredo de justiça.

 

COMPARTILHAR AGORA

 

VEJA VÍDEO| Após intenso tiroteio, PM acha três fuzis escondidos dentro de poste

Policiais do 9º BPM (Rocha Miranda) foram surpreendidos pela “criatividade” de criminosos do Morro da …