"Foram nomeados, por méritos próprios, e são devidamente preparados para as funções que desempenham", diz o parlamentar em nota.

O “PUXADINHO” DOS VIANNAS| Deputado não responde se pedirá a parentes que deixem cargos

|Por Toni Duarte||RADAR-DF

O deputado distrital Jorge Vianna, não quis responder se pretende pedir aos sete servidores, atribuídos como sendo parentes seus pelo MPDFT, que deixem os cargos comissionados que ocupam na estrutura do Governo do Distrito Federal. Quanto ao caso, o atual administrador Regional de Samambaia Gustavo Aires,  disse que seguirá  a orientação da Controladoria-Geral do DF. “Se a ordem for para demitir, será cumprida”.

 

Por e-mail enviado na tarde desta quinta-feira (09), o deputado Jorge Vianna não quis responder ao Radar-DF se pede ou não que seus supostos parentes , aderentes e agregados que trabalham na Administração Regional de Samambaia que deixem os seus respectivos cargos, ao tomar conhecimento  de uma investigação que vem sendo feita pelo  MPDFT iniciada há 30 dias.

Em nota,  o distrital disse  que a denúncia é “caluniosa” e que seus parentes foram “nomeados por méritos próprios, e são devidamente preparados para as funções que desempenham”.

A lista dos supostos  parentes do deputado Jorge Vianna, que está sendo investigada pelo Ministério Público do Distrito Federal e que o Radar teve acesso consta sete nomes

O Ministério Público do Distrito Federal  pode recomendar  ao GDF a exoneração dos servidores, caso fique comprovado a prática do nepotismo ou mesmo de clientelismo, tido como a prática de distribuir empregos, favores e outros benefícios pagos com o dinheiro público aos seguidores em troca de apoio.

“Estão tentando induzir o órgão de controle a erro, ao atribuírem nomes de servidores da Administração de  Samambaia, sem nenhum grau de parentesco com o deputado”, diz a nota do parlamentar.

Vianna esclareceu que, dentre os nomes apontados, Carlos Alberto de Oliveira, que é chefe de gabinete e Reinaldo Felix de Araújo Leite, assessor especial da Coordenação de Licenciamento, Obras e Manutenção da Administração Regional de Samambaia , são cunhados dele.

Disse também que a coordenadora de Desenvolvimento Maria Josilene Vianna é prima e que os demais servidores apontados na lista não são parentes seus.

Jorge Vianna ressaltou que o atual administrador de Samambaia, Gustavo Aires, que não é uma indicação sua, no entanto “manteve todos esses servidores por serem competentes e que, caso contrário, certamente já teriam sido exonerados”.

Procurado pelo  Radar-DF, o atual administrador Regional Gustavo Aires afirmou que tomou conhecimento da investigação do MPDFT nesta quinta-feira pelos jornais.

Esclareceu também que esses servidores, que constam da lista do MP, foram nomeados pelos administradores anteriores indicados por Jorge Viana.

“Resta-me esperar pela recomendação do Ministério Público e seguirei à determinação e a orientação da Procuradoria-Geral, órgão de controle do GDF. Se a medida for para exonerar, isso será feito”, disse o Administrador.

 

COMPARTILHAR AGORA

 

A Medida Provisoria, enviada pelo presidente Jair Bolsonaro, em dezembro do ano passado, encontra-se em discussão na Comissão Mista do Congresso, criada para debater o texto. Luiz Miranda é o relator da MP.

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA| Luiz Miranda quer resolver antigo problema de produtores rurais do DF

O deputado federal Luiz Miranda (DEM-DF), disse que a  Medida Provisória 910/2019,  que estabelece  a …