Partidos evangélicos atraem Bolsonaro e pedem cabeça de General no DF

Às 14 horas desta quarta-feira (04/07), o presidenciável Jair Bolsonaro, está sendo atraído para dentro da Catedral Baleia – Sede Nacional das Assembleias de Deus Madureira, localizada na 910 Sul de Brasília, para uma conversa de pé de ouvido com o bispo Manoel Ferreira e com o presidente do PRB, Wanderley Tavares. Os dois querem o fim da candidatura do General Paulo Chagas ao Buriti. Se a conversa prosperar, o PRB e o PSC, ambos do DF, abandonarão a candidatura de Izalci Lucas (PSDB)

Por Toni Duarte//RADAR-DF

Dos oito partidos que compõem a coligação liderada por Izalci Lucas, pré-candidato ao Buriti e pelo senador Cristovam Buarque (PPS), que diminuiu com a saída do Patriotas, pode minguar ainda mais com a provável saída do PRB e do PSC, partidos comandados pelas igrejas Universal, Assembleia de Deus Madureira e Sara a Nossa Terra.

Há duas semanas, Wanderley Tavares e o presidente Vitalício da Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil – Ministério de Madureira, Manoel Ferreira, tentaram junto ao deputado Jair Bolsonaro (PSL), candidato a Presidência da República, uma conversar a três. A reunião vai acontecer às 14 horas desta quarta-feira na Asa Sul.

No plano nacional o presidenciável acena para o PRB, partido da Igreja Universal do Bispo Macedo, diante do que vem pregando o empresário Flávio Rocha, fundador da rede Riachuelo.

Rocha quer desistir da sua pré-candidatura a Presidência por acreditar ser possível unificar o centro político, ainda no primeiro turno das eleições, em torno de Jair Bolsonaro.

Um possível casamento entre Bolsonaro e o PRB, serviu de ânimo para Wanderley Tavares para abandonar Izalci Lucas (PSDB), candidato ao Buriti.

Na conversa pessoal de hoje, Tavares vai tentar convencer Bolsonaro a mandar o general Paulo Chagas, desistir da pré-candidatura a governador do Distrito Federal.

Para a reunião de hoje, Wanderley convidou Manoel Ferreira, dono do PSC, partido que também está de malas e cuias para pular fora do barco de Izalci e Cristovam.

No que diz respeito ao PSC, partido controlado pela Assembleia de Deus Madureira, Zenóbio Rocha, presidente da legenda no DF e cabo eleitoral declarado de Izalci Lucas, por ter uma filha lotada no gabinete do tucano, seria obrigado a engolir o choro.

A ideia dois partidos evangélicos e ter Bolsonaro como o principal motor eleitoral para eleger deputados federais e distritais no DF nas eleições desse ano.

Wanderlei seria candidato a governador tendo como vice o general Paulo Chagas se este quiser. Resta saber se Chagas, um dos principais entusiastas de Bolsonaro em Brasília, vai engolir as pretensões dos donos dos partidos evangélicos.

Em uma conversa anterior entre o General Paulo Chagas e Wanderley Tavares, o assunto foi cortado pela raiz. De cara, Chagas disse que não gostou de Wanderley.

A pressão é grande para puxar o tapete do General, candidato ao Buriti. Se prosperar a união nacional entre o partido de Bolsonaro e o partido do Bispo Edir Macedo, dono da Igreja Universal do Reino de Deus, a alternativa do oficial da reserva do Exército Brasileiro é desistir  e recolher a espada.

Na dobradinha Bolsonaro (PSL) e Flávio Rocha (PRB), o deputado Júlio Cesar teria a sua eleição garantida como pré-candidato a deputado federal, uma exigência do PRB nacional.

Na coligação de Izalci o distrital não teria nenhuma chance. O deputado federal Rogério Rosso, por hora diz ser candidato a senador, mas na hora “H” vai concorrer mesmo a Câmara Federal.

Rosso viajou essa semana a São Paulo a chamado de Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD. O partido comandado por Rosso no DF deve seguir com Izalci Lucas, se prosperar a aliança com o PSDB nacional.

Por enquanto Izalci pode contar ainda com o PSD. Durante esse período o deputado Rosso, que integra o grupo das “madalenas arrependidas”,  já tomou café com Rollemberg, almoçou com Izalci e jantou com Eliana Pedrosa.

Voltando ao caso dos partidos evangélicos do DF, as igrejas vão para onde melhor atender os seus interesses nada religiosos.

Manoel Ferreira que já foi deputado federal e disputou em 2014 como suplente de senador ao lado de Geraldo Magela (PT), tem o objetivo de eleger o pastor Daniel de Castro (PSC) para a Câmara Legislativa.

Se por um lado tem gente do próprio PSDB-DF conspirando contra a penosa e insossa caminhada de Izalci rumo ao Buriti, por outro lado os evangélicos torcem para que o tucano queime no fogo do inferno.

COMPARTILHAR AGORA

 

Pesquisa Datafolha: Fraga empata com Eliana que despencou mais dois pontos

A pesquisa Datafolha encomendada pela TV Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo e divulgada …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.