Polícia Civil prende um dos suspeitos do assassinato do padre e faz cerco para prender o resto do bando

||Da Redação|RADAR-DF

Em menos de 72 horas, após o padre Kazimerz Wojno ter sido encontrado morto por estrangulamento dentro da Paróquia Nossa Senhora da Saúde, na Asa Norte, a Polícia Civil prendeu na tarde desta terça-feira (24), um dos quatro bandidos envolvido no assassinato do sacerdote. O delegado Laércio Rosseto, mantém o nome do acusado em sigilo.

O home preso, em Valparaíso, cidade goiana do Entorno de Brasília, está sendo interrogado por investigadores da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte).

Desde a tarde do último domingo, quando a Polícia Civil começou a investigar o caso, nomes dos principais suspeitos já estavam na mira dos investigadores da 2ª Delegacia de Polícia comandada pelo delegado Laércio Rosseto.

Isso foi possível após pegar os depoimentos de algumas pessoas, entre elas o  caseiro José Gonzaga da Costa que foi amarrado pelos bandidos no momento do assalto à casa paroquial.

As autoridades policiais trabalham diuturnamente para solucionar o crime e colocar seus autores na cadeia.

LEIA MAIS:

Policiais vão para guerra, choram, morrem… mas a sociedade não se indigna

Kazimierz Wojno, conhecido como Padre Casemiro, morreu depois de ser estrangulado. Ele estava com um arame envolto ao pescoço, além de pés e mãos amarrados. O assalto ocorreu na noite do último sábado (21/9).

O sacerdote polonês foi sepultado no Cemitério Campo da Esperança, sob forte comoção dos fieis

COMPARTILHAR AGORA

 

O BICHO PEGOU| Polícia Federal realiza operação baseada em delação de Palocci

A Polícia Federal realiza nesta quinta-feira (7) a Operação Appius para investigar o pagamento de …