“QUEM ESTÁ DELATADO NA LAVA JATO É ROLLEMBERG E NÃO FREJAT”, DIZ ADVOGADO

“Honesto? Nem tanto! ”, sustenta o advogado criminalista Carlos Alberto Araújo de Sousa ao se referir ao governador Rodrigo Rollemberg, por ter sido apontado como beneficiário do dinheiro público roubado pela JBS, Odebrecht e Andrade Gutierrez, conforme a delação premiada feita por Ricardo Saud, ex-executivo da J&F no âmbito da lava jato

Por Toni Duarte//RADAR-DF

A reação do advogado Carlos Alberto Araújo e Sousa, pré-candidato a deputado distrital pelo Avante, nestas eleições, foi disparada para contrapor as ilações que vem sendo  feitas pelo governador Rollemberg como um ato de desespero contra Jofran Frejat (PR), pré-candidato ao Buriti.

Ele disse que o jogo sujo de Rollemberg não irá deter o crescimento político do ex-secretário de saúde, que lidera todas as pesquisas de intenções de votos e que tem o carinho e o respeito do povo do DF.

“Quem está atolado até o pescoço no lamaçal da lava jato, por ter sido delatado como provável recebedor de dinheiro sujo da Friboi, é o atual governador do DF, Rodrigo Rollemberg”, disse o advogado.

Carlos Alberto Sousa disse que o governador e seus prepostos imaginam que a população do DF tem memória curta e não acompanham os fatos travados pela maior operação de guerra contra a corrupção no âmbito da lava jato.

“A delação premiada feita por Ricardo Saud, ex-executivo da J&F, holding controladora da JBS, coloca no lamaçal da corrupção a imagem de honesto, probo e de uma  vestal como tenta se apresentar o governador de Brasília.

“Ele não é santo como demonstra ser”, aponta o pré-candidato a distrital.

O criminalista afirmou que trazer ao debate o envolvimento de Rodrigo Rollemberg, com a distribuição de propinas feitas por empresas envolvidas no fosso da lava jato, “não é nenhuma ação proposital ou requentada só porque estamos há quatro meses  do início das eleições desse ano”.

Segundo ele, o caso chega à tona, já que o MPF trabalha de forma acelerada no sentido de que os 16 dos 27 governadores, que tomaram posse no cargo em 2015, e que tiveram suas campanhas turbinadas com propinas, virem réus.

O Dr. Carlos Alberto Sousa aponta ainda que de acordo com documentos entregues por executivos da JBS ao Ministério Público Federal, Rollemberg teria recebido propina disfarçada de doação oficial em 2014.

Na conta de campanha do então candidato ao Palácio do Buriti, a JBS depositou R$852.832.

Junto com Rollemberg, o PSB e mais 16 governadores também foram beneficiados pelo dinheiro da corrupção, afirmou em depoimento ao juiz Sergio Moro, o executivo Ricardo Saud, ex-executivo da J&F. VEJA A LISTA:

“Neste momento, Rodrigo Rollemberg não tem moral para acusar ninguém, ele tem é que dar explicações ao MPF e ao povo do DF, pois é ele quem foi delatado na lava jato como provável beneficiário de dinheiro roubado do povo brasileiro, e não o doutor Jofran Frejat”, disse.

COMPARTILHAR AGORA

 

“ALÍRIO VICE DE FREJAT? SEM CHANCE”, DIZEM CORRELIGIONÁRIOS

O esfacelamento da chamada terceira via expôs as víceras de  um caminho sem volta para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *