Foto: Renato Alves

Rafael Parente garante que não será implantado “kit-gay” nas escolas do DF

O futuro secretário de Educação do Governo do Distrito Federal, afirma que as suas convicções pessoais não serão tratadas dentro do campo institucional da pasta que comandará a partir do próximo dia primeiro de janeiro. Garantiu ainda que a política programática do governo Ibaneis Rocha, voltada para a educação do DF, não inclui ideologia de gênero

Por Toni Duarte//RADAR-DF

Em entrevista coletiva a blogueiros de política, ocorrida neste sábado (29/12), o futuro secretário de Educação Rafael Parente, afirmou que o pacto social voltado para a educação, dialogado e compromissado entre o governador Ibaneis Rocha com a sociedade brasiliense, será inteiramente cumprido.

“Como pessoa física defendo o respeito ao individualismo, bem como a capacidade de aprender com as diferenças. Mas como homem público, que serei a partir do momento que tomar posse no cargo de secretário de educação, seguirei o que está escrito no plano distrital de educação do governador Ibaneis. No plano de educação do nosso governo não terá kit-gay, não tem ideologia de gênero”, disse o futuro secretário.

A declaração de Rafael Parente foi uma reação as críticas feitas contra ele, por setores conservadores de Brasília que condenam a inclusão da ideologia de gênero nas escolas.

Parente deixou claro que a Lei de Diretrizes e Bases (LDB), que estipula que o governo federal formule um plano (BNCC), que detalha como as matérias básicas a ser apresentadas aos alunos de todo o país, excluiu a ideologia de gênero do currículo.

“O nosso foco é melhorar a infraestrutura das escolas  introduzindo metodologias modernas que sejam interessantes para as crianças e jovens e que possam estimular a curiosidade de aprender.

O novo secretário afirmou que o plano de educação do governador Ibaneis Rocha tem como objetivo de aumentar o conhecimento cultural, criar hipótese científica, bem como de formar cidadãos que sejam autônomos, que pense de forma clara; que consigam ler e interpretar e que tenham um pensamento lógico matemático.

Ele disse  que a Polícia Militar do Distrito Federal vai ser uma grande parceira na criação de metodologia e de programas para melhorar a disciplina e a ordem nas escolas.

Por fim, Rafael Parente fez questão de tranquilizar que não fará nada que a sociedade brasiliense não queira.

Ele adiantou que na próxima quarta-feira, dia 2, vai se reunir com a deputada federal eleita Celina Leão (PPS); a deputada federal eleita Bia Kicis  (PSL) e com o distrital reeleito Rodrigo Delmasso (PRB).

Os parlamentares citados são contra a introdução de ideologia de gênero nas escolas e defendem o direito dos pais sobre a educação religiosa e moral de seus filhos.

Rafael afirmou que vai assinar um termo de compromisso em cima das promessas feitas pelo governador Ibaneis Rocha durante a campanha.

“Reitero que não vamos implementar ideologia de gênero, primeiro porque um secretário de educação não tem esse poder”,  enfatizou Parente.

COMPARTILHAR AGORA

 

Protesto de Bia Kicis contra o governo Ibaneis foi um fiasco

Bia Kicis, deputada federal eleita que obteve  86.415  votos nas últimas eleições, fracassou na convocação …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.