ROLLEMBERG É OBRIGADO A FAZER A ÚNICA OBRA DE SEU GOVERNO: O VIADUTO QUE CAIU

Nada de escoramentos. O governador Rodrigo Rollemberg terá que construir o viaduto que desabou no fim da manhã desta terça-feira (06/02), no Eixão Sul de Brasília. O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-DF), apontou que há risco de queda total da estrutura e ameaça à vida de técnicos que atuarão no local, caso seja este o procedimento escolhido

Por Toni Duarte

A única obra que o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg deverá realizar nestes quatro anos de governo poderá não ser concluída por ele, já que esse é seu último ano no Buriti, e pode não se reeleger nas eleições de outubro, segundo revela  as pesquisas de intenções de votos.

“O governo pode até iniciar a construção do novo viaduto esse ano, mas ele só será totalmente concluído no próximo”, foi o que disse um técnico em licitação da Novacap consultado pelo Radar.
A  empresa do governo será incumbida de fazer o pregão de chamamento para a construção do viaduto, processo que leva ao menos seis meses para ser concluído.

O conselho de engenharia é autor de um relatório que, em 2009, pontuou a necessidade de o GDF tomar “providências imediatas” em relação ao  viaduto que está sobre a Galeria dos Estados e que terminou desabando.

Outras dezenas de estruturas de Brasília correm o risco de desabamento como a ponte do Bragueto e a barragem do Paranoá. Esta última, se romper, o lago desaparece completamente.

Acostumado a botar a culpa nos outros, o governador de Brasília acusa o governo de Agnelo Queiroz (PT) por não ter feito a manutenção dos viadutos como se não fosse uma obrigação permanente do GDF independente do governador que esteja de plantão no Buriti.

Rollemberg só faltou botar culpa no arquiteto Oscar Niemeyer,  no urbanista Lúcio Costa, os construtores de Brasília, e por último, em São Pedro por ser generoso  com as chuvas que alagam a capital da República.

COMPARTILHAR AGORA

 

BESSA COMEMORA APROVAÇÃO DO FIM DE PRISÃO PARA PM’s E BOMBEIROS

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *