A oposição não pode continuar reunindo as portas fechadas em seus cafezinhos, para decidir quem vai liderar uma chapa ficha limpa no momento em que o povo exige mudanças.

SENADINHO RECEBE NESTE SÁBADO, FREJAT, JOE VALLE, CRISTOVAM E IBANEIS ROCHA

Quatro grandes nomes da politica brasiliense  foram escolhidos pelas lideranças comunitárias da região do Jardim Botânico para a formação de uma chapa majoritária,  com foco na união das  oposições  ao governo Rollemberg e vencer no primeiro turno as eleições desse ano. Jofran Frejat, Joe Valle, Cristóvam Buarque e Ibaneis Rocha confirmaram presenças na abertura dos trabalhos do “Senadinho da Boca do Povo”, que ocorre neste sábado (24/02), a partir das 13 horas, na Feira do produtor do Jardim Botânico

Por Toni Duarte

Quem disse que o cidadão comum  não tem o direito de escolha ou de sonhar com a chapa que o povo quer? Tem sim.

Pelo menos essa foi à primeira discussão de pauta de 2018 do “Senadinho da Boca do Povo”,  que neste sábado abre o seu plenário popular, na feira do produtor do Jardim Botânico, para a apresentação pública de  quatro nomes: Frejat, Joe Valle, Cristovam e Ibaneis Rocha. Todos eles já confirmaram presença.

Seria a construção de uma chapa majoritária capaz de detonar Rollemberg do Palácio do Buriti no  primeiro turno da campanha eleitoral desse ano?

A maioria dos integrantes do senadinho avalia  que sim.

Nos últimos dois anos,  a sociedade brasiliense apenas ficou como platéia assistindo o jogo de   indecisões dos principais líderes políticos do DF sobre quem seria o candidato a governador e quem irá integrar a chapa majoritária de oposição na disputa contra Rodrigo Rollemberg.

Seria o médico Jofran Frejat (PR), um cidadão experiente em gestão pública e  ficha limpa que já foi cinco vezes deputado federal, quatro vezes secretário de saúde, ex-ministro de Estado e que vem liderando desde 2016 todas as pesquisas de intenção de votos para governador?

Seria o deputado federal Izalci Lucas,  que apesar de ter sido o primeiro a colocar o seu nome no jogo da sucessão, mas que  até agora não tem a  garantia da executiva  nacional do PSDB em torno do seu nome?

Seria o deputado federal Alberto Fraga, que também anunciou ser candidato ao Buriti  com o apoio de Jair Bolsonaro, mas que na semana passada terminou entrando em rota de desentendimento com o seu partido não sabendo se fica ou se sai do DEM?

Seria  Joe Valle, presidente da Câmara Legislativa, gestor e ficha limpa que passou ser a opção do seu partido, o PDT,  para disputar o  governo do DF?

Seria o ex-deputado Alirío Neto (PTB),  que diz  contar com o apoio do ex-governador e “bom de voto” José Roberto Arruda (PR), e que sonha ter  Frejat como  senador em sua chapa?

Seria o empresário Wanderlei Tavares (PRB), partido da Igreja Universal do Reino de Deus, que reuniu ontem  todos os políticos evangélicos e acredita que a união dos partidos dos “crentes” tem força suficiente para eleger um “irmão” ao  Buriti?

Ou Seria o advogado Ibaneis Rocha, ex-presidente da OAB-DF, filiado ao MDB, que acredita que pode chegar lá  surfando na  onda de parte do eleitorado que diz votar em quem “nunca foi político”?

A única certeza que a população do DF tem  é da candidatura do governador Rodrigo Rollemberg  que vai de vento em popa mesmo  com viadutos e pontes ruindo, de gente morrendo nas portas dos hospitais, do aumento da criminalidade por causa do desmonte da segurança e  da falência da   educação.

Mesmo vaiado e com o poder na mão, Rollemberg segue com a sua  campanha nas ruas.

A oposição não pode continuar reunindo de portas fechadas, em seus cafezinhos de meia-tigela, para decidir quem vai liderar uma “chapa ficha limpa e sem máculas”.

Nenhum político ou dono de partidos perguntaram até agora   aos   segmentos da sociedade do DF que tipo de chapa o povo quer.

Neste sábado, se é que os políticos acima citados realmente estejam conectados com o sentimento popular, certamente comparecerão  ao plenário  popular da “boca maldita” do Jardim Botânico que  reúne jornalistas, professores, empresários, artistas, profissionais liberais, aposentados e cidadãos comuns.

A “Chapa que o Povo Quer”, trata-se apenas de uma sugestão de iniciativa popular que  pode até não prosperar por causa do ego de alguns  que se julgam donos absolutos do eleitorado brasiliense o que é um equivoco.

A iniciativa do Senadinho,   é um forte sinal de que os segmentos da sociedade brasiliense estão atentos e querem participar do jogo. Afinal, quem  decide tudo é o povo.

 

COMPARTILHAR AGORA

 

“PARTIDO PAPA-DEFUNTO” É OBRIGADO A ENTERRAR CANDIDATURA DE GOUDIM

O PMB-DF, partido controlado por donos de funerárias de Brasília,  anunciou em nota,  nesta segunda-feira …

Um comentário

  1. Execelente iniciativa popular . Tenho orgulho em dizer que faço parte desse grupo do Senadinho que tem como objetivo tornar mais popular ainda as questões políticas daqueles que decidirão mais 4 anos sobre nossa cidade .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *