O senador Cristovam Buarque, além dos distritais Rodrigo Delmasso e Júlio César demonstraram uma expressão do tipo “menos, menos!”.

WANDERLEY GOVERNADOR? COMPANHEIROS BATEM PALMAS, MAS NÃO ACREDITAM MUITO

A cara ensossa do senador Cristovam Buarque (PPS), as palmas sem graça de Rodrigo Delmasso, bem como os braços cruzados e sorriso irônico de Júlio César, são o retrato fiel de que o lançamento da pré-candidatura de Wanderley Tavares ao Buriti, anunciado pelo presidenciável do PRB, Flávio Rocha, nesta quarta-feira (6/6) em Brasília, não empolga nem mesmo os amigos mais próximos do presidente do PRB local

Por Toni Duarte//RADAR-DF

Nem mesmo ele tem chance. Segundo a última pesquisa Data Folha, realizada no mês passado, o empresário Flavio Rocha, dono do grupo que controla a rede de lojas Riachuelo, como pré-candidato à Presidência da República, tem apenas  1%. Rocha está acima de Amoêdo, do Partido Novo, e Henrique Meirelles.

Mas o dono da Riachuelo decidiu que o partido terá candidatura a governador no Distrito Federal para reforçar o seu palanque nacional e lançou o nome do empresário e presidente da legenda local Wanderley Tavares.

Até a semana passada Tavares e os deputados distritais Rodrigo Delmaso e Júlio César, estavam certos de que levariam o PRB-DF para dentro da aliança das “madalenas arrependidas” formada pelos partidos PSDB, PPS, PSD, PRB, PMB, PSDC, PSC, Patriota e PSL.

O candidato da chapa majoritária desse grupo seria o deputado federal Izalci Lucas, pré-candidato ao Buriti pelo PSDB, que tem como candidato a presidência da República o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, também sem chance de vitória, segundo as últimas pesquisas.

Para o presidenciável do PRB, o outsider Walderley Tavares tem grande chance de vencer as eleições no DF, sustentação que fez o senador Cristovam Buarque, além dos distritais Rodrigo Delmasso e Júlio César demonstrar uma expressão do tipo “menos, menos!”.

Apesar do desconforto, o anúncio, no entanto, não é uma garantia concreta de que Wanderley esteja disposto a carregar o fardo.

Mas é a senha de que o partido da Igreja Universal do Reino de Deus, almeja, no mínimo, ganhar mais margem de negociação com qualquer candidatura à presidência da República que pode vencer as eleições.

Basta olha para trás para enxergar que nas duas últimas eleições, o PRB ganhou força no cenário nacional aumentando a sua bancada na Câmara e alargou o seu domínio nos estados e municípios. Teve lugar no governo Lula, Dilma e Temer.

A turma de cima da Igreja Universal não tem nada de boba. Se for preciso sacrificar ovelhas e pastores, serão sacrificados em nome do poder.

COMPARTILHAR AGORA

 

Você acredita? Kkkkk… Correio Brasiliense diz que Rollemberg ganha

Uma pesquisa “encomendada” pelo falido jornal Correio Brasiliense, um puxadinho do Buriti, revela nesta quinta-feira …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *